Translate

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Os iranianos são os povos mais amigáveis do mundo?


Esta pergunta tem sido feita por muitos turistas, pessoas que de alguma forma já ouviram falar da pérsia antiga.
Mas neste post o assunto é retratar ou confirmar isso através das palavras do Sr. HENRIK JEPPESEN, um dos viajantes mais  famosos do mundo que consegui percorrer todos os países antes de completar 30 anos de idade, e esta façanha foi realizada graças as várias qualidades que este jovem tem desde nascença, onde pode-se mencionar, aventureiro, sonhador, guerreiro e um grande empreendedor.
Essa história de conhecer o mundo todo, ocorreu na infância, e este sonho foi amadurecendo com o tempo, muitos foram os obstáculos, mas consegui realizar o seu grande desejo.
Mediante isso, apareceu uma curiosidade, se este rapaz viajou todos os países, com certeza o Irã foi catalogado em seu mapa. Entramos em contato com ele o qual foi muito simpático e rápido a nos responder. Fez-se dez questões sobre o Irã, foi perguntado, se ele gostou do país, o que ele achou da cultura entre outras.
Particularmente o espanto veio quando ele nos respondeu, não relatando sobre as nossas perguntas pois estava muito ocupado no momento entre tantos trabalhos. Mas nos permitiu transcrever suas palavras, desde que cite a fonte. Agradecemos grandemente ao HENRIK JEPPESEN, por sua permissão.   Vamos as suas palaras.
 Estou desfrutando de uma vista fantástica no Inter Continental Sydney enquanto estou olhando para trás na minha recente viagem ao Irão que excedeu todas as expectativas.

 O Irã é um país bastante fácil de visitar. Tudo o que você precisa fazer é obter um código de visto de um dos operadores turísticos locais. Demora apenas alguns dias, e eu posso altamente recomendar Touran Zamin. Eles vão enviar-lhe uma carta que lhe dá acesso ao visto na chegada no aeroporto de Teerã, onde eu paguei 50 Euros para um visto de 30 dias.

Eu esperava encontrar um ônibus para me levar para a cidade de Teerã, mas, infelizmente, os táxis eram a única opção. 20 euros seria muito acima do meu orçamento diário, então eu decidi pegar carona como eu já fiz muitas vezes antes. Com base no fato de outros viajantes tinha feito o mesmo com sucesso, eu me senti bastante seguro ao fazê-lo. O primeiro carro pediu dinheiro para me levar para Teerã, então eu pedi desculpas e esperei para o próximo carro. Ele estava indo para Teerã, e acabou me levando era um professor de Inglês que me levou direto para o meu hotel depois de uma conversa de quase duas horas devido ao tráfego.
Durante minha visita de cinco dias a Teerã, conheci algumas das pessoas mais amigáveis ​​do mundo. Todas as pessoas que eu tinha interação estavam felizes em ajudar um estranho. É assim em muitos países, mas os iranianos se esforçam para ajudá-lo. Se eu perguntava como chegar a um lugar específico, me perguntavam se eu tinha dinheiro suficiente para um táxi. E iam oferecendo passeios, e oferecendo alimentos e lanches em , um curta rua de Teerã. Eu fiz muitas viagens em ônibus, metrô e trens, onde as pessoas perguntavam se poderiam me ajudar. Eu não vi um único turista durante a minha visita a Teerã. Apenas os moradores e esse fato me fazia sentir muito especial.
Não há hotéis de luxo em Teerã, mas me hospedei em dois dos melhores hotéis. Hotel Niloo e Tooba Hotel, confortáveis ​​e com acesso Wi-Fi gratuito.


 Minha estadia no Irã foi limitada a capital  Teerã, mas o país tem muito mais para ver. O governo iraniano tem grandes ambições para o turismo, e agora é um momento perfeito para visitar antes que possa ficar invadido por turistas. Com base na minha experiência certamente merece ser que, talvez mais do que qualquer outro país. As pessoas são algumas das mais hospitaleiras do mundo.
OBS
Acima tem palavras ditas pelo viajante, sendo de sua responsabilidade a realidade dos fatos, pode-se também que alguma coisa tenha mudado desde a sua visita ao país, nossa intenção aqui é mostrar o relato de uma das pessoas que mais viajaram, sendo conhecedor de todos os países reconhecidos pela ONU (Organização das Nações Unidas).
Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário