Translate

sábado, 29 de outubro de 2016

O PRINCIPAL RIO DO IRÃ

A riqueza de um país pode se mostrar das diversas maneiras, em terras, grandes quantidades de quilômetros quadrados, em ouro, e ultimamente em petróleo, por mais que este ultimamente tenha caído o preço do barril sendo avaliado em outubro por 49,71 dólares, uma desvalorização de -1,51%, segundo fonte do site investing, que faz a cotação diária,  mesmo assim este produto ainda continua um item importante que mostra o poder econômico de um país, muitas nações do Oriente Médio carregam em suas marcas o mérito de serem grandes produtores e exportadores de petróleo do mundo entre estes o Irã.
Mas, nas últimas décadas, uma outra riqueza natural tem chamado a atenção de varias nações em todo o mundo, fala-se aqui da água, este tesouro que não se pode construir, mesmo tendo uma das formulas mais simples da tabela periódica dos elementos. A água não se constrói, ela é transformada em consequência das mudanças de temperatura, a água sofre transformações, podendo passar de um estado para outro. Estes são: líquido, sólido e gasoso. No estado líquido podemos encontrá-la nas torneiras de nossas casas, nos lagos, rios, mares, em forma de chuva.

Mas este foi uma explicação simples da riqueza inigualável da água. Esta pode ser encontrada no estado liquido nos rios, que é um curso natural de água, usualmente de água doce, que flui no sentido de um oceano, um lago, um mar, ou um outro rio. Em alguns casos, um rio simplesmente flui para o solo ou seca completamente antes de chegar a um outro corpo d'água. Pequenos rios também podem ser chamados por outros nomes, incluindo córrego, riacho, riachuelo, canal e ribeira. Não existe uma regra geral que define o que pode ser chamado de rio, embora em alguns países ou comunidades, um fluxo pode ser definido pelo seu tamanho. Muitos nomes de rios de pequeno porte são específicos para a sua localização geográfica. Um exemplo é o termo "burn", usado na Escócia e no Nordeste da Inglaterra. Às vezes um rio é considerado maior do que um afluente, mas isso nem sempre é o caso, por causa da imprecisão na linguagem.
Enquanto muitos países possuem uma quantidade considerável de rios, como o Brasil que possui as maiores bacias hidrográficas do mundo no total 12 regiões,  formadas por diversas bacias hidrográficas, donde estão localizados os principais rios do país: Amazonas, São Francisco, Tocantins, Araguaia, Parnaíba, Paraguai, Paraná, Uruguai, dentre outros. Outros países praticamente não contam com este número elevado de rios.
O Irã por exemplo possui somente um rio de destaque, chamado Karun, que pode ser navegado por barco e somente para distâncias curtas. O rio Karun, também chamado Ab-kuren é um dos rios mais importantes do Irão. É também conhecido por Kuran, sendo o principal rio navegável do país. Nasce nos Montes Zagros, correndo para sul e banhando Ahvaz e Khorramshahr, onde se une ao Rio Chatt al-Arab (Arvandrud). Nesta última localidade ocorreu uma das mais sangrentas batalhas da Guerra Irã-Iraque, pela conquista desse importante porto fluvial e estreito por parte das tropas do Iraque, ainda sob o domínio do governo de Saddam Hussein. Nesse rio localiza-se a usina hidrelétrica Reza Shah Kabir, no Departamento de Ahvaz, que produz cerca de 1200 MW e é uma das maiores do país.
Para concluir, basta perceber que o termo riqueza esta mudando de sentindo no decorrer dos anos. No passado países considerados ricos eram aqueles com grandes extensões de terras, como a Rússia - 17.075.000 km², Canadá - 9.975.000 km², China - 9.600.000 km², Estados Unidos - 9.364.000 km², Brasil - 8.512.000 km², Austrália - 7.700.000 km², Argentina - 3.761.274 km², Índia - 3.287.590 km².
Hoje a riqueza de um país é considerável no contexto da quantidade de matéria prima o qual possui, incluindo bacias hidrográfica, neste caso os rios.
fonte: pt.wikipedia.org
br.investing.com

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

12 ª Feira Internacional das Embaixadas


Quem mora em Brasília-DF, terá a oportunidade de participar da Feira Internacional das Embaixadas, em sua 12ª Edição, este é um evento cultural beneficente pelo qual as embaixadas tem a oportunidade de mostrar para o público um pouco de sua cultura, por meio de doações e vendas de produtos típicos de cada Embaixada participante,  os fundos que serão arrecadados serão para apoiar e ajudar ações e instituições brasileiras de caridade. Neste evento as pessoas poderão presenciar as diversas e diferentes culturas presentes.
Este evento conta com o apoio do Governo do Distrito Federal, conhecido antes como “Bazar Internacional Diplomático”, pode-se igualar com uma vitrine de múltiplas experiencias culturais, onde mais de 100 países estarão mostrando um pouco da sua cultura.



E esta cultura será mostrada por vários tipos como as danças, artesanatos, pinturas, roupas e não se deve esquecer de mencionar as comidas típicas.
Participar deste evento é deixar de lado o idioma, pois neste todos falam o mesmo, ou seja ajudar o próximo e ainda viajando longe sem sair de Brasília. Fica a dica para a sua agendo no dia 12 de novembro, veja todas informações no site.